Digite o que procura

Anvisa divulga novo guia sobre controle de alergênicos

20/11/2018

Com objetivo de oferecer recomendações técnicas ao SNVS e as indústrias de alimentos do Brasil, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) divulgou no mês de novembro um novo Guia de Controle de Alergênicos.

Direcionado a todas as indústrias de alimentos e também ao Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS), a segunda versão do Guia de Controle de Alergênicos contém os principais aspectos do Programa de Controle de Alergênicos.

O Guia de Controle de Alergênicos é indispensável para o processo de rotulagem de todos alimentos registrados na Anvisa.

Obrigatoriedade do Controle de Alergênicos

É importante ressaltar que a publicação do Guia de Controle de Alergênicos não define como obrigação, ou seja, cada empresa deve avaliar se aplicará ou não. A Anvisa entende que algumas abordagens alternativas podem ser possíveis e contanto que os requisitos exigidos pela legislação sejam atendidos, não há problema segundo a Agência.

Rotulagem Obrigatória de Alimentos Alergênicos

O Guia de Controle de Alergênicos destaca os alimentos que tem Rotulagem obrigatória, ou seja, quando há presença deles, o rótulo deve ser claro ao constatar essa informação.

Os principais alimentos alergênicos são:

  • Trigo, centeio, cevada, aveia e suas estirpes hibridizadas;
  • Crustáceos;
  • Ovos;
  • Peixes;
  • Amendoim;
  • Soja;
  • Leites de todas as espécies de animais mamíferos;
  • Amêndoa;
  • Avelãs;
  • Castanha-de-caju;
  • Castanha-do-brasil ou castanha-do-pará;
  • Macadâmias;
  • Nozes;
  • Pecãs;
  • Pistaches;
  • Pinoli;
  • Castanhas;
  • Látex natural

 

Rotulagem de Produtos Alergênicos

De acordo com a Anvisa, o rótulo é ainda a principal fonte de comunicação com o consumidor final. O Guia de Controle de Alergênicos vem para auxiliar a empresa a definir quais regras e produtos devem ser inseridos nos rótulos dos produtos.